16 anos do primeiro beijo – ensaio sobre o casamento

3 Comentários

beijo

19 de maio de 2001: sim,  foi este o dia do primeiro e desengonçado beijo. Para os que são de Uberlândia terem uma ideia, faz tanto tempo que esse beijo aconteceu no finado Cassino Brasil, onde acontecia a primeira Federada, festa anual do também finado colégio federal.

Como dizem nos EUA, somos high scholl sweathearts. E foi neste exato dia que a hoje esposa ganhou o apelido de Capi – digamos um bullying carinhoso.

Mas o que mais impacta pelo tempo não é o Cassino Brasil ou a Federada, e sim a realização de que esta união representa exatamente a metade de nossas vidas, que hoje com 32 anos, comemoramos casados.

A união não foi ininterrupta. Para o início do namoro, a enrolei um bom tempo. E depois foram 5 anos separados, quando ela me enrolou. Resultado: enrolados estamos…

Muito se diz que o tempo gera conhecimento e entendimento sobre o seu companheiro. O nosso tempo não caminhou de forma tão convencional.

Os 5 anos de separação nos tornaram pessoas melhores e mais maduras, mas totalmente diferentes, cada um criando laços com sua própria individualidade – para não dizer egocentrismo. Preservado estava apenas o sentimento de um pelo outro. Pensávamos ser o suficiente.

A (re)união passou por um novo processo de conhecimento, que assim como no mundo jurídico, passa por um grande processo de instrução, para revelação do que cada um – convicto do que sentia pelo outro – poderia esperar desta “nova” relação.

E realmente foi uma nova experiência. Dividir as escovas de dente não estava em nosso portfólio anterior, e muitas vezes a opção eleita não foi consensual. Hoje, por exemplo, cada um tem o seu banheiro (ah, e sua escova também hahaha).

Muito se fala sobre o casamento e a união perfeita. Boolshit!

O casamento é sim um dos maiores desafios a serem enfrentados por nós mortais, talvez superado apenas pelo desafio de ser pai/mãe.  É  um aprendizado constante. As milhas acumuladas durante o relacionamento são importantes, mas se não tratadas diariamente, levarão ao distanciamento do casal, que 9 em cada 10 vezes, vão conduzir à separação.

Estamos juntos remando nesse exercício diário, e muitas vezes temos falhado. Recentemente, passamos por um período em que as brigas e os maus momentos estavam sufocando e impondo protagonismo em relação aos bons momentos.

Não sucumbimos apenas pela fé em Deus e pela confiança do sentimento que abraça nossos espíritos há 16 anos. Errei muito, erramos muito, assim como ocorre em todos os casais – mesmo os que insistem em passar a ideia de um casamento perfeito. Se existe não sei,  mas se existisse certamente não o escolheríamos, pois o mistério bom da vida é justamente essa eterna construção, ainda que seja uma obra que nunca será finalizada, assim como a transposição do São Francisco.

Mas Deus é tão poderoso que aproxima datas importantes de momentos importantes, para que não nos esqueçamos de onde viemos e para onde queremos ir (juntos!). Ah, o Zuckerberg tem tentado fazer o mesmo com suas lembranças, mas em 2001 nem mesmo o Facebook existia.

Gente, faz tanto tempo do primeiro beijo, que naquela época as torres gêmeas estavam de pé, Obama e Osama eram desconhecidos, Lula nunca tinha sido presidente, o Brasil era tetra e o Vasco nunca tinha caído para a segunda divisão. Tão antigo, que o Palmeiras ainda não tinha mundial. Ops, não tem até hoje… hahaha

Mas voltando ao que importa, eu queria deixar registrado nesta data, através do blog, o meu agradecimento à minha esposa Ana Gabriela Moraes Pena Massote (esse último exigido pelo escriba) pelos 16 anos em que me brinda com sua alegria e do amor que nos fez passar por todos os percalços. Contemplamos juntos os piores e os melhores momentos de nossas vidas, e a você devo uma grande parte do que sou.

Juntos casamos no cartório, na igreja e no hospital. Juntos namoramos no estacionamento do Habib’s (e no hospital rsrs). Juntos fomos a velórios, formaturas e casamentos. Juntos passamos no vestibular e formamos. Juntos pretendo passar o resto dos meus dias ao seu lado.

O meu compromisso é lutar pela sua felicidade. Tenho muito orgulho de você como mulher, filha e em breve como mãe, se Deus assim permitir.

Ao melhor beijo (e amor) do mundo, que comemora 16 anos, obrigado!

Com amor,

Gabriel ana bela

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

3 comentários sobre “16 anos do primeiro beijo – ensaio sobre o casamento

  1. Não tem como não amá-la.. E não amar vocês como casal. Q Deus continue iluminando e guiando o caminho de vcs. Amo ser amiga e madrinha desse amor imenso!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s