Enquete: quem imaginava que seria assim?

32 Comentários

Antes da enquete, novidades do front, ou como diria José Simão da Folha, buemba!!

A minha potencial doadora vem de logo ali:  Região Norte do Brasil. E como não falar de fé nesse momento?

Como imaginar que alguém de um lugar tão remoto para os nossos padrões “sudestinos” pudesse ter 100% de sua medula compatível com a minha? Ahhh, tem dedo, tem mão inteira da turma lá de cima. Né não, meu pai? Né não, Deus Pai? Até a idade de nossa possível salvadora é famosa: 33 anos!

Pedi a todos os Santos, Deuses e Espíritos, até aos mais ‘agraduados’, como diria Geraldinho, e até mesmo ao nosso novo Papa Francisco, que parece ter resgatado mais uma de suas ovelhas desgarradas, tamanho o seu carisma, simplicidade e FIRMEZA. Será Santo, se já não o é. Santo vivo!

Confiança sim,  mas não cantarolemos vitória.

Isso porque a doadora ainda passará por rigorosos exames clínicos, para que seja verificado o bom estado de saúde que a habilite a ser, digamos assim, uma doadora apenas de coisas boas. Normal. Procedimentos…

Se der tudo certo, a doação poderá ser feita, o que nos remete (agora sim!) ao tópico do post:

Quando pensamos em transplante, ainda mais de medula óssea não aparentado, o mais complicado que se tem notícia, logo idealizamos o cenário do parangolê: bisturi, centro cirúrgico, cortes profundos, pontos e muita dor. Não é essa a nossa impressão?

Bom, era o que eu imaginava…  Mas vamos acabar com mais essa lenda urbana!

O transplante, para mim receptor (custei abandonar o termo jurídico doador/donatário), chega através de uma simples transfusão (igual às de sangue ou plaquetas), feitas a partir de um instrumento chamado catéter de Hickman.  Já estou com essa cirurgia, e desde então, assim como o jovenzinho da foto, estou com essas multi-tetas.

catéter de hickman

Bom, dito isso, ficam para o receptor os riscos relativos ao transplante, ligados essencialmente ao período pré-transplante, onde a medula é integralmente destruída através de altas doses de quimio e radioterapia, e o pós-transplante, onde são comuns infecções e rejeições. Para fugir da ideia de que advogado é metido a entender de tudo (não é mesmo Capi??), vamos a uma informação oficial. Alguns sites trazem esse panorama geral de maneira bem ilustrativa: http://www.vidaporvidas.com/por-que-doar/

                 COMO É O TRANSPLANTE PARA O PACIENTE?

 “Depois de se submeter a um tratamento que destrói a própria medula, o paciente recebe a medula sadia como se fosse uma transfusão de sangue. Essa nova medula é rica em células chamadas progenitoras, que, uma vez na corrente sangüínea, circulam e vão se alojar na medula óssea, onde se desenvolvem. Durante o período em que estas células ainda não são capazes de produzir glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas em quantidade suficiente para manter as taxas dentro da normalidade, o paciente fica mais exposto a episódios infecciosos e hemorragias. Por isso, deve ser mantido internado no hospital, em regime de isolamento. Cuidados com a dieta, limpeza e esforços físicos são necessários. Por um período de 2 a 3 semanas, necessitará ser mantido internado e, apesar de todos os cuidados, os episódios de febre são quase uma regra no paciente transplantado. Após a recuperação da medula, o paciente continua a receber tratamento, só que em regime ambulatorial, sendo necessário, por vezes, o comparecimento diário ao hospital.”

E digo eu. E para o doador? Olha, arrisco dizer que dentre todos os transplantes, o mais tranquilo seja para o doador de medula óssea. Com a palavra, os especialistas:

                   COMO É O TRANSPLANTE PARA O DOADOR?

“Antes da doação, o doador faz um exame clínico para confirmar o seu bom estado de saúde. Não há exigência quanto à mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação. A doação é feita por meio de uma pequena cirurgia, de aproximadamente 90 minutos, em que são realizadas múltiplas punções, com agulhas, nos ossos posteriores da bacia e é aspirada a medula. Retira-se um volume de medula do doador de, no máximo, 10%. Esta retirada não causa qualquer comprometimento à saúde.”

E digo ser o mais tranquilo por mero exercício de observação, já que  ao contrário de um transplante de rim, fígado e tecidos, que são passados em vida, não há, para o doador de medula, nada (absolutamente nada!)  de MUTILAÇÃO, CORTES, PONTOS OU DOR.

Mais que isso: esse concentrado pode, em vários casos (deve ser o caso da minha doadora), ser obtido até mesmo através do sangue periférico (através da retirada de um mero sanguinho senhores!), estimulados por medicamentos que mobilizam a produção das células nas quantidades que o receptor precisa. Mamão com açúcar…

Mesmo assim, acreditem: não são raros os casos em que o doador, na hora “H”, desiste da doação por medo do procedimento ou ignorância.  Portanto, amigos, quando decidir se cadastrar como doador de medula óssea, saiba que dificilmente será seu amigo ou parente que será compatível com você. ESSA DECISÃO É MUITO SÉRIA.

A maior chance é de que o contemplado seja um ilustre desconhecido e, nessa hora, negar a doação, é muita, muita maldade. E infelizmente acontece. Sei de um caso em que três doadores seriam compatíveis com uma pessoa, e os três “B”acanas desistiram. E para não fugir do nosso mundo cão, mais recentemente um irmão só aceitou doar para o outro mediante “paga”. Já imaginaram?

Bom, agradeço aos mais de 735 views do primeiro post, vindos de 6 países, o que me enche de entusiasmo para acreditar que essa mensagem de otimismo e fé poderá chegar a pelo menos uma pessoa que tenha que passar por tudo isso. Repito: PASSAR por tudo isso, e não PARAR com isso tudo.

E por aqui, vou levando a vida sabendo  que nenhum dia será igual ao outro. E dá-lhe quimios. E que venham os novos desafios e a enquete, oras…

quimio

Anúncios

32 comentários sobre “Enquete: quem imaginava que seria assim?

  1. Medula não era aquela moça recatada que tinha uma cobrinhas na cabeça???? Rssssss
    Parabéns pelo post!!! Tá ajudando a entender… E com seu bom humor, fica ainda melhor!!!
    Eu achava que pro receptor (donatário – mundo jurídico cão) também tinha que fazer a punção na bacia…
    Surpreendente saber que o mundo nos separa, mas a solidariedade pode nos unir… E lamento muito por aqueles que podendo, deixam de doar… Tenho certeza que esta é a maior felicidade neste processo e a pessoa está deixando de vivê-la…

  2. Dr. Gabriel, (agora também especialista em transplante de medula) ótimas explicações! Isso me fez me lembrar que um dia, antes do “vulcão” Lúpus acordar no meu organismo, eu me inscrevi como doadora de medula óssea. Será que eu ainda poderia doar? Será que eu estaria impedida pela doença por si só, ou por causa os medicamentos que tomo? (nada mega pesado). Essas foram duvidas que me ocorreram agora…vou procurar saber, quem sabe eu acho o meu par 100% compatível por esse mundo e cumpro a minha missão de ajudar alguém? jaSe tiver informações a respeito, me fale! bjos

  3. É isso mesmo!!! Muita fé em Deus que tudo dará certo! Estou rezando por vc! Muito boa sua iniciativa de postar sua luta e desmistificar muitas coisas! Sou doadora e incentivadora da doação de medula óssea!
    Parabéns!

  4. Muito legal sua iniciativa salsicha! Vamos aprendendo, nos divertindo (pq vc é muito engraçado! ) e principalmente tendo notícias. .. estamos torcendo por vc! Bjao

  5. Gabriel,

    Achei a iniciativa ótima! Desmestifica e ainda é um canal pra gente ir sabendo das novidades.

    Realmente nao sabia sobre o procedimento!Achei as coincidencias mto boas e cabalísticas tambem!

    Quanto à parte do humor, acho que mereceria um “Post” sobre você amolando a ala do hospital com a vitória sofrida (dizem comprada) do Galo! ahahaha

    Quanto ao mais, pode ter certeza que todos estamos com fé e torcendo/rezando juntos aqui!

    Pessoalmente, posso dizer que o período de convivência que pude ter com você foi realmente um aprendizado. Aprendi apliques” (é a parte do humor…rs) mas também aprendi um exemplo de postura profissional.

    Por hora, aceitamos – apenas em caráter liminar – que você vá doutrinando nesses outros ares. A experiência sem dúvida é árdua mas como disse o Raphael, é porque vc é grande pra cruz! Contudo, no mérito, exigimos que você volte mais cobrador ainda! rs

    Abração!!

  6. Ótimas explicações Gabriel! Eu aprendi sobre este processo quando me inscrevi no Registro Nacional de Doadores de Medula, mas você deixou ainda mais clara a simplicidade da técnica. A região Norte sempre nos surpreende positivamente! Concordo com sua cunhada, pois a alegria de poder doar a medula é extremamente gratificante! Beijos!

  7. Dr. Gabriel,

    Com toda a confiança, primeiro em DEUS, depois na tranquilidade e conhecimento de causa que o Sr. tem, intensifico minhas orações e creio na recuperação total.
    DEUS O ABENÇOE!!!
    Obrigada por tudo!!!
    Marcia Teixeira

  8. Olá, sei como é difícil a sua luta. Meu pai passou por longo tratamento contra o câncer e hoje descansa em paz ao lado de Cristo. Tenha muita fé, força e coragem. Você já é um vencedor!!!!!
    Obrigada pelos esclarecimentos!
    Aprendemos sempre!

  9. Parabens pelo Post! Na verdade sempre temos que ter em mente que poderíamos estar do outro lado! Por incrivel que pareça suas informaçoes me pareceram bem familiares quanto a doaçao… em um pedido de sangue para o Hemocentro de Ribeirao Preto também me decidi a ser doadora de medula! Ja pensou voce ter 1 chance entre 100 mil de conseguir ajudar o proximo e fazer parte da esperança de uma cura? Seria uma dádiva! Diante da decisao fiquei encantada com a paciencia e o treinamento dos profissionais responsaveis pela triagem! Me foi explicado tudo de maneira bem semelhante ao que voce escreveu! Importante a consciencia e a responsabilidade na hora de assinar o aceite de permitir que sua medula fique no banco de possíveis doadores! Parabens mais uma vez pela iniciativa de esclarecimentos de forma tao leve!!!

  10. Dr. Gabriel
    Peça a DEUS que abençoe voce sempre, que seu transplante será um sucesso e logo voce estará fazendo o que mais gosta e com as pessoas que mais o amam. Você é um exemplo de determinação e FÉ.
    Aprendi muito com essa explicação.
    Abraços.

  11. Também sou advogada, conheci seu blog através do face de uma amiga de faculdade, a Bruna Pacheco. Absolutamente comovente ver a forma com que você encara esse momento da sua vida. Alguns se entregam ao desespero, outros se colocam no papel de vítimas e você, resolveu fazer do limão uma limonada. Seu espírito é evoluído e sei que você também é muito iluminado. Nada como o otimismo e a informação, MUITA INFORMAÇÃO. Há alguns meses sofri um fratura de coluna lombar, e mesmo sem ter deixado sequelas física, enfrento um momento emocional complicado, depois de tudo, justamente por ter enfrentado alguns meses de repouso absoluto e de muito MEDO. Hoje percebo que as informações desencontradas, ou a falta de informação, o famoso “disse me disse”, fez com que ficasse em estado de pânico e desenvolvesse a doença da ansiedade. Você é uma lição de vida. Deus te abençoe e te de forças para continuar levando seu otimismo a quem precisa. Você já é um vencedor, sua vitória “física”, é só uma questão de tempo!!!!!

  12. Gabriel, fiquei sabendo do seu caso pelas minhas e suas primas, Alice e Clara. Será que posso te chamar de Primo? Adoraria pois você é uma simpatia e seu ASTRAL me conquistou. Soube pela Alice que não posso ser doadora pois já tive um melanoma mas torço muito por você e acredito viu?!!!! bj

  13. To aqui refletindo como eu me sentiria se um dia Deus me usasse como um instrumento pra poder salvar uma vida…Eu me sentiria a pessoa mais importante do mundo, rsrs…Refletindo tbm sobre as pessoas q tem a coragem pra dizer não diante da possibilidade de tamanha felicidade!! Sinceramente nao consigo compreender…De toda forma minha intenção é dizer q Deus é contigo e tudo correrá bem…#força e #fé…

  14. Oi Anjo Gabriel. Parabéns pela iniciativa. Estamos aqui com nosso coração, pensamento e oração voltados para você. Sabe quem está no controle de tudo. Creia sempre! Nosso carinhoso abraço! Leda

  15. Gabriel, gostei de saber mais um pouquinho sobre a doação, já sou doadora de medula desde a minha primeira doação de sangue, e fiquei maravilhada por saber da sua possível doadora, todos aqui em casa oram sempre por vc; temos notícias sempre pela tia Lourdinha. Obrigada por nos fazer pessoas melhores com esses post’s pois eles nos ajudam a dar mais valor a nossa vida e a dos outros também. Torcemos para que sua melhora seja o mais rápido possível. Continue sempre com esse bom humor, ele é contagiante!

  16. Parabéns pelo blog Gabriel! Já conheço bastante sobre todo esse processo, pois vivi bem de pertinho com um tio meu. Mas do lado de cá estamos com fé e oração! Tudo vai dar muito certo, ou melhor, já está dando, pois uma das partes mais difíceis vc já conseguiu: um doador compatível! Deus está cuidando de tudo, nos mínimos detalhes, pode ter certeza! Gde abraço!

  17. O Salsa massa essa iniciativa do blog, fiquei sabendo apenas essa semana, VC é o cara mesmo, o modo como encara as situações e a visão da vida, um vencedor! “Vai longe esse minino”; Daqui uns dias te encontro aqui no MC Donalds aqui em udi dinovo, Abraço!

  18. Gabriel meu amigo, sempre me emocionei com as estórias de superação e tenho certeza que a sua encabeçará a minha lista de favoritas! Seja forte, estamos com você!

    “De tudo, ficaram três coisas:
    A certeza de que estamos sempre começando…
    A certeza de que precisamos continuar…
    A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar….
    Portanto devemos:
    Fazer da interrupção um caminho novo …
    Da queda um passo de dança…
    Do medo, uma escada…
    Do sonho, uma ponte…
    Da procura, um encontro…”

    Fernando Pessoa

  19. Boa tarde, elogios mil, comece escrevendo um livro…como os pacientes e familiares ficam experts no assunto né… Infelizmente a omissão do Estado nos faz, ter que sentir na pele para agir…a título de sugestão, enfatiza na questão da doação por Aferese, explicando melhor, dizer que 75% dos casos de doação são por metodo periferico. Força, que a doadora chega em São Paulo…

  20. Espero que as pessoas entendam que a doação é um ato de amor ao próximo.
    Sei que sua vontade de vencer é enorme e esse é o primeiro passo da Vitória. Você vai vencer!!!!!

  21. Olá! Você abordou o assunto de forma simples e quebrou o tabu que muitos tinham sobre doação de medula. Me sinto bem doando sangue e tenho interesse em me cadastrar para a doação de medula. Obrigada por compartilhar informações importantes…

  22. Há alguns anos, mas ou menos uns 10, houve uma campanha em minha cidade, Pouso Alegre – MG, para cadastro de doadores de medula óssea. Eu e meu marido, na época meu namorado, minha mãe e alguns amigos, fomos até o local pra fazer a coleta. Assistimos a um filme que explicava todo o procedimento. Depois, assinamos um termo e realizamos a coleta DD material. Na época, eles disseram que após alguns dias, íamos receber o resultado do exame de sangue e a confirmação do cadastro. Mas nem eu, nem nenhuma pessoa que conheço e que fez a coleta, recebeu tais documentos. Fiquei chateada e preocupada, pois até hoje não sei se somos escritos neste programa, e gostaríamos muito de ajudar,quem quer que fosse. É este o nosso papel: sermos solidários uns com os outros. Neste caso, nada é mais portanto do que salvar uma vida! Dar uma chance a quem está doente de continuar a viver! E uma imensa esperança a família! E a quem não quis ser doador ou se recusa, pense que um dia poderá ser você ou alguém que você ama.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s